Setor Social

O que vem primeiro: o projeto ou a captação ?

Por 25 de março de 2020 Sem comentários

Obter recursos financeiros é um ponto elementar para a elaboração de qualquer projeto, principalmente quando se trata do Terceiro Setor. Para que uma proposta de escopo possa sair do nível teórico e consiga atingir seu nível prático, é preciso um ponto de partida. Buscando uma maior amplitude de possibilidades de captação de recursos, não basta somente o investimento inicial, mas, sim, um projeto pré definido, de modo que a apresentação de uma ideia mais estruturada e elaborada possa alcançar o interesse de possíveis investidores. Assim, a partir do momento em que houver a aprovação do projeto por parte do  público beneficiário (ONG’s, por exemplo), entende-se como necessário o acompanhamento e a validação da captação de recursos financeiros por parte de financiadores, para que assim, o projeto possa dar continuidade, uma vez que há uma base financeiramente estruturada. Dessa maneira, entende-se como concomitante a busca da captação de recursos, assim como a definição do escopo do projeto. Além disso, vale ressaltar que a captação de recursos não depende somente de uma estruturação financeira, mas também, de setores como os recursos humanos, o trabalho voluntário e os recursos materiais, ou seja, todos os ativos necessários para o funcionamento de qualquer negócio.

         No caso de um projeto do terceiro setor, considera-se válido compreender que o mercado está exigindo cada vez mais que as organizações sem fins lucrativos sejam criativas nas formas de captação de recursos. Que as entidades não dependam somente de uma forma de captação, mas que elas estejam sempre arrumando novas formas de captar estes recursos. Para que a organização consiga captar recursos é preciso ter uma pessoa com experiência, e de preferência, profissionalizada, visto que a mobilização de recursos é uma área muito importante para deixar nas mãos de alguém inexperiente.

Com isso, entende-se que existem formas diferentes de captação de recursos no terceiro setor. A primeira forma de captação de recursos é a partir do apoio do governo, considerada o método mais comum e mais utilizado. Apesar de ser muito importante ter o apoio financeiro do governo para financiar os projetos da organização, não faça dele a única forma de captar recursos da entidade, além disso a organização estará sujeita à regulação que controla a transferência de recursos públicos. Além dessa forma, existem outras formas de captar recursos, como o crowdfunding; bazares e eventos; rifas e geração de renda. Todas essas formas contam com a criação de eventos, campanhas de financiamento de projetos e o desenvolvimento de produtos para arrecadar fundos para a empresa do terceiro setor, que proporcionam uma estrutura financeiramente sólida para que a empresa consiga crescer e se desenvolver no mercado.

Com  o projeto do terceiro setor devidamente estruturado e uma estratégia de captação de recursos financeiro bem definida e encaminhada, entende-se importante conseguir apoio  de indivíduos ou empresas que se identifiquem com a causa trabalhada. A promoção de eventos também é uma forma bastante comum de promover a instituição e arrecadar recursos. Porém, a melhor forma de buscar oportunidades é através da internet: através da busca nos sites de instituições e também no Google, utilizando palavras-chave, é um primeiro passo para captar recursos. Algumas agências como o BNDES e o FINEP disponibilizam ferramentas online que facilitam as buscas ao oferecerem filtros que auxiliam a encontrar opções mais adequadas para a sua empresa ou projeto. Além disso, a maioria das agências produzem newsletters periódicas que listam os editais em aberto e informações sobre as chamadas em andamento.

Dessa maneira, entende-se que as organizações do Terceiro setor e os serviços envolvendo o governo buscam maneiras e estratégias para que suas atividades sejam exercidas, assim desenvolvendo atividades para a captação de recursos e buscam parcerias com empresas e o próprio governo que possam colocar os projetos em prática. E, a partir do desenvolvimento de parcerias e estratégias que envolvam um bem maior, ou seja, o projeto, busca-se medidas sustentáveis para que o projeto consiga progredir, sendo essas os recursos financeiros, materiais e humanos. Portanto, entende-se como concomitante o dinamismo das atividades envolvendo o projeto em si e a captação de recursos, de modo que o projeto obtenha êxito.