Setor Social

Engajamento de Voluntariado

Por 22 de abril de 2019 Sem comentários

Três estratégias simples para melhorar o engajamento do voluntariado da sua ONG

É comum que existam problemas com relação ao engajamento de voluntários em ONGs. Promover a prática, certamente não é tarefa fácil. Pensando na melhor forma de te auxiliar na tarefa, aqui vão três estratégias simples para que você estimule o engajamento dos seus voluntários na sua organização para que assim sua ONG possa causar um impacto cada vez maior na sua atuação.

Dica 1: Pensando na dificuldade que existe em mobilizar um grande número fixo de voluntariado dentro de uma cidade grande, uma das alternativas para o problema seria através da organização de ações descentralizadas em diferentes regiões da cidade onde a sua organização se localiza. Isso facilitaria a atuação do seu voluntariado, que não teria o esforço de se movimentar muito de um ponto a outro. Seria possível pensar também em firmar parcerias com instituições que partilhem da mesma visão que a sua ONG. Com essa possibilidade de engajamento de várias organizações com o mesmo objetivo, seria possível que mais pessoas se atraiam pela causa evitando o entrave da locomoção. Ademais, a partir da criação de parcerias, seria possível ter um aumento no seu número de voluntários, já que admitiria-se mais ações pontuais como mutirões e campanhas coletivas.

Um exemplo da seguinte situação seria o Programa Escola Brasil (PEB), projeto de voluntariado do banco Santander que envolve não só os funcionários como familiares, clientes e toda a comunidade escolar. Por meio dele, são firmadas parcerias com escolas públicas que recebem ações nos temas esporte e recreação, arte e cultura, meio ambiente, diversidade, empreendedorismo e geração de renda. Os interessados em participar do projeto firmam parcerias com escolas próximas da onde vivem, assim possibilitando o impacto desses voluntários sem ter os custos de grandes locomoções.

Dica 2: Como forma de aumentar o engajamento dos seus voluntários, você pode pensar também em realizar competições solidárias. Através da atividade, seria possível envolver mais os voluntários com a sua temática, já que estes teriam de se engajar para atingir os objetivos propostos, tendo em mente a missão e visão de sua ONG. Para exemplificar um pouco melhor, vamos tomar a atitude do corpo de bombeiros como exemplo: ​com o período de férias de inverno, os estoques de sangue dos hemonúcleos tendem a cair por conta da demanda e pela queda no número de doadores. Em Bauru e Marília (SP), as equipes do Corpo de Bombeiros decidiram entrar em uma competição solidária para incentivar o gesto. A cidade em que mais pessoas participam ganha a disputa de doação de sangue. Mesmo o corpo de bombeiros não sendo uma ONG, fica clara a ideia de competição por trás da atitude dos profissionais, o mesmo princípio pode ser aplicado no ambiente do terceiro setor em uma campanha para arrecadar doações de casacos para o inverno, ou ainda arrecadar o maior número de alimentos.

Dica 3: Hoje em dia, as pessoas vivenciam diariamente muitas interações pelo celular e pelo computador. Assim, engajar seu voluntário pelas redes digitais pode se fazer muito efetivo para sua ONG, já que mais pessoas ficariam por dentro da causa, e consequentemente, seria possível captar um número maior de voluntários capazes de prestar auxílio à entidade, uma vez que se sentiriam identificadas com a razão de ser da mesma. A ideia é de que o voluntário participe ativamente nas mídias digitais, facilitando sua presença na causa, sem que exista a necessidade física de estar presente. Isso seria bom uma vez que existe a possibilidade de atuar a qualquer momento e em qualquer lugar, promovendo o impacto constantemente o meio. Um exemplo dessa ideia seria por exemplo o gerenciamento das páginas digitais da ONG, nas quais seriam realizadas atualizações sobre possíveis eventos de caridade, realizando postagens que enfatizem e lembrem os seus seguidores das conquistas e propósitos da sua ONG, enquetes sobre temas que envolvem a razão de ser da organização, ou até mesmo sorteios promovendo a divulgação da sua organização. Todos esses movimentos poderiam ser realizados à longa distância, o que facilita a motivação de um número maior de voluntários para a causa da ONG.

Em retrospecto, sua organização pode aproveitar a dificuldade de mobilidade urbana de duas formas, tanto aumentando o número de parcerias com outras entidades que têm o mesmo objetivo que a sua, como através de campanhas virtuais para aumentar o número de pessoas que se sensibilizem pela causa. Ademais, é possível pensar também em competições solidárias para que os voluntários atuantes se sintam mais motivados e engajados na razão de ser de sua ONG. Estas foram algumas ideias para ajudar com que exista um voluntariado disposto a realizar todo o potencial que a sua organização tem.

Alexandre Bevilacqua de La Touloubre