Setor Social

Como diferenciar sua OSC no momento de pedir doações?

Por 12 de agosto de 2019 Sem comentários

Uma proposta de valor social consiste em um mapeamento e em uma análise da identidade dos serviços oferecidos por uma organização. Em termos práticos, a proposta de valor social é definida como a ferramenta utilizada para identificar o diferencial do serviço, da metodologia, e da marca de uma instituição, comparativamente às outras organizações de mesmo escopo. Esse processo é embasado em três pilares principais: entender as atividades realizadas pelos stakeholders (partes interessadas) que as ações da organização social impacta (como o público-alvo da entidade, seus financiadores e eventuais parceiros), tal como entender as dores desses atores, e apontar quais os ganhos e diferenciais que um determinado serviço pode oferecer a ele.

A partir dessa segmentação, deve-se realizar uma análise do ambiente externo onde outras ONGs atuam, na qual a metodologia e processualização de outras organizações é estudada, a fim de identificar as forças e fraquezas do que é oferecido no setor, e em que âmbitos a organização consegue ser inovadora ou mais bem estruturada do que as demais. Feito esse estudo macroscópico, pode-se então definir a identidade organizacional de sua entidade, e consolidar sua marca a partir das necessidades dos stakeholders e do diferencial em relação às outras organizações. Esse método é essencial no Terceiro Setor, especialmente no que tange o pilar de Captação de Recursos, pois só é possível atrair aportes financeiros fidelizados quando há uma clara consolidação identitária da organização, e os aspectos que a destacam frente às demais.

Concomitantemente à proposta de valor social, também será possível observar uma melhoria nas capacidades de comunicação interna e externa à organização, tal como uma melhoria na estruturação dos processos e nas etapas de oferecimento de serviços. É necessário que os agentes do Terceiro Setor tenham clareza de quando estruturar uma proposta de valor social, e de que forma ela deve ser feita, pois essa formulação será essencial para seu estabelecimento e sua consolidação frente aos stakeholders, tais como usuários do serviço, doadores, financiadores e todas as partes interessadas. Não há um período exato para que uma proposta de valor seja elaborada, entretanto, é extremamente recomendável que ela seja preparada paralelamente ao próprio esboço do projeto da organização, pois deste modo garante mais efetividade na execução das etapas sucessivas.

A partir da proposta de valor é possível desenvolver e aprimorar os serviços de acordo com a necessidade direta dos stakeholders, tal como fortalecer seu posicionamento frente às outras organizações. Essa assertividade, acarreta, também, na economia de recursos humanos e financeiros, já que formula planos de ação alinhados às demandas dos consumidores dos serviços, e gera maior segurança e preferência pela organização em questão.